travel || July 16, 2019

Amesterdão: guia de viagem

Na semana passada tive uma reunião em Roterdão e deu para passar umas horas a Amsterdão.

Há voos diretos para Roterdão, mas para Amesterdão são mais frequentes e são uns 40min de combóio de uma cidade à outra.

Tinha estado em Amesterdão, da última vez, em 2014, nem me lembrava que tinha sido há tanto tempo! Esta foi a 4ª vez que lá fui e, em poucas horas, não deu para visitar nada, mas aproveitámos para passear um bocadinho e jantar lindamente!

Como nunca tinha deixado aqui algumas dicas sobre Amesterdão, achei que era uma boa altura compilar tudo:

COMO PREPARAR A VIAGEM:

Pesquisem o que querem visitar, de acordo com os dias que vão passar na cidade. Assim organizam melhor os vossos dias e conseguem aproveitar muito mais!

1. QUANDO IR: Apesar de estarmos no verão, estava fresquinho (menos de 20º), perfeito para passear sem muito calor. Esta altura é ótima para uma escapadinha de fim‑de‑semana. Já fui em Fevereiro (frio de rachar, mas deu para conhecer e aproveitar muito!) e em Março e Abril, também foi ótimo! Na verdade, eu evitava os picos de chuva ou calor. A cidade não é muito grande e faz-se lindamente a pé – alugar uma bike é bem divertido e uma forma fácil (e mais rápida!) de chegar aos lugares.

2. VIAGEM: há voos diretos de Lisboa, há muitas companhias aéreas que fazem a ligação. Bem simples!

3. ESTADIA: como disse, desta vez não ficámos mesmo em Amesterdão, mas já fiquei num hotel (da última vez, que fui com o João) e os hotéis não são propriamente baratos (como na maioria das cidades europeias). Da primeira vez fui em trabalho também e o hotel era um bocadinho longe do centro e outra vez fui com amigas e ficámos num hotel baratinho, mas impec! Não me lembro o nome dos sítios onde fiquei, já foi há algum tempo… mas têm prioridade à localização! Acho que também deve ser bem giro alugar uma casa num barco, através daqueles websites para alugar casa, devem encontrar.

4. ROUPA, o que levar: levem roupa confortável para passear e para poderem andar de bicicleta: ténis, jeans e uma carteira à tiracolo para ser mais prática.

5. ESTILO DE VIDA: lá janta-se bem cedo e o estilo de vida é bem descontraído e minimalista.

6. BIKE: não deixem de alugar uma bike, nem que seja por algumas horas. É bem giro conhecer a cidade nesta perspectiva e sentem-se mais “local” 🙂 Em todos os cantos encontram lojas para alugar bicicletas. Se não dominam a arte, escolham uma com travões nas mãos, não arrisquem as que têm travões nos pés ahah pode correr mal 🙂 Têm que ter sempre muito cuidado nas ruas, há muito mais bikes do que carros e, como não estamos habituados aqui, podem correr o risco de ser atropelados por alguém de bicicleta. Quase me ía acontecendo 🙂

7. LOCAIS A VISITAR: é uma cidade muito rica, culturalmente. Não deixem de visitar o Museu Van Gogh ou o Rembrandt, se gostam de arte. Há muitos mais que podem visitar. A casa de Anne Frank também é imperdível. Se puderem, façam um passeio de barco também.

8. ONDE COMER: não é propriamente um país com uma culinária espetacular (na minha opinião!), mas há restaurantes de cozinha de todo o mundo, maravilhosos e onde se pode comer lindamente. Há muitos cafés orgânicos, onde a comida é toda deliciosa. Indico-vos alguns que valem a pena conhecer: Fou Fou Ramen (cozinha japonesa), Envy,

Procurem antes na net as reviews de qualquer restaurante e, se estiver cheio é sempre um bom sinal!

Para os mais gulosos, experimentem as Stroopwafels, há uma foto neste post, para verem a desgraça deliciosa que é 🙂

Espero que as dicas tenham sido úteis, se tiverem alguma questão, digam! Posso não me ter lembrado de algum pormenor e, se souber, tenho todo o gosto em responder!

INSTAGRAM @styleitup

Margarida

Hi! I’m Margarida, style and beauty blogger at Style it Up