lifestyle || September 28, 2018

novo plano alimentar

Já não ía ao nutricionista há dois anos e estava na minha to-do list lá voltar, mas andava a adiar, porque havia sempre outras coisas mais urgentes naquele momento.

Até que comecei a sentir que precisava de mudar qualquer coisa na minha alimentação, porque estava constantemente a acordar com algumas dores de estômago, mesmo que a refeição da noite anterior fosse equilibrada.

O facto de ter voltado em força aos treinos também deu aquele motivação extra para voltar ao Dr. Pedro Queiroz.

Sempre achei que a teoria de uma alimentação saudável todos nós tínhamos e que os nutricionistas estavam ali para que existisse um comprometimento da nossa parte. Ter ali alguém a controlar o que comemos, etc fazia com que nos portássemos melhor a este nível. Pensava assim até conhecer o Dr. Pedro. É óbvio que todos sabemos o que é saudável ou não, mas não conseguimos despistar o que nos estará a fazer pior em determinada altura da nossa vida.

O Dr. Pedro fez-me uma análise completa, para entendermos a percentagem de gordura no meu corpo atualmente; a fracção celular e extracelular; peso corporal; a água presente no meu corpo (percebi que tenho alguma retenção de líquidos, achava que não…); qual a necessidade energética que necessito diariamente, entre outros parâmetros que o Dr. Pedro achou importantes avaliar.

Depois disto tudo, traçou-me um plano que comecei na semana passada. Nesse plano e nesta primeira fase (também para entender o porquê de sentir algum desconforto diariamente) vou reduzir drasticamente a lactose – vou consumir leite, essencialmente de amêndoa que também gosto. É um ‘até já’ aos meus queridos Corn Flakes da Kellogg’s, que só me sabem bem com o leite magro de vaca ahah

Fui-me abastecer de iogurtes e queijo fresco sem lactose – nunca tinha provado – e o feedback é muito positivo. Praticamente não se nota a diferença… a sopa da noite passa a ser sem batata – andava a comer a mesma do Manelito 🙂 agora é fazer num tacho à parte a sopa igual, mas sem a batata. É fácil!

E tenho andado a pesquisar mais saladinhas para fazer em casa – faço sempre as mesmas, não vos acontece isto?! É que às tantas, farta!

E relembrei algumas dicas-chave a ter em conta:

  • Mastigar DE-VA-GAR (isto para uma pessoa acelerada não é fácil!)
  • Refeições com intervalos de 3 horas
  • Beber água (trouxe da Clínica de Nutrição de Lisboa um drenaste que já tinha experimentado e adorado. É o que estou a beber durante o dia)

Não dispenso o meu salame de chocolate ahah mas porque acredito que uma alimentação equilibrada tem que ter estes pequenos prazeres e este é o meu guilty pleasure. Ainda tentei negociar a presença do salame de chocolate durante este primeiro mês, mas o Dr. Pedro não me ligou nenhuma 🙂

É óbvio que posso comer salame, mas o ideal é fazê-lo em dias de treino, para haver uma compensação.

Não acredito em dietas muito restritivas, acho que tudo tem que ter um equilíbrio nesta vida 🙂

Passado quase 2 semanas, sinto-me muito melhor!

INSTAGRAM @styleitup

Margarida

Hi! I’m Margarida, style and beauty blogger at Style it Up

Comments

    • October 1, 2018

      Margarida

      A razão do plano alimentar não tem a ver com dietas, mas sim porque andava a acordar mal disposta todas as manhãs e tinha que estar relacionado com a alimentação… estava, porque tenho-me sentido muito melhor! 🙂 Claro que a % de massa gorda tem que diminuir, mas para isso também tenho trinado! Também sou totalmente contra dietas super restritivas ou radicais, acho que em tudo tem que haver equilíbrio. Eu não era capaz de fazer dietas malucas, porque adoro comer 🙂 Vou partilhando, sim! Beijinhos

  1. October 1, 2018

    Mariana

    Também andava a precisar de ideias para saladas e no outro dia deparei-me com este artigo num blog, tem ótimas sugestões: https://www.nytimes.com/2009/07/22/dining/22mlist.html. Boa sorte com o novo plano!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *