lifestyle || October 18, 2020

Emily in Paris: o que aprendemos com a série

Aposto que grande parte de vocês já viu esta série.

Se eram fãs de Sex and The City, a curiosidade não vos permite estar muito mais tempo sem ver 🙂

Vi a primeira temporada toda numa noite, é uma série leve e que retrata a vida de uma jovem americana que vai trabalhar para a cidade Luz, com muito conteúdo de Moda, Marketing Digital e Estratégia pelo meio, apresentado de uma forma super leve e até divertida.

A série que é realizada pela mesma equipa de SATC e tem a mesma figurinista, Patricia Field, mostra a importância do conteúdo nas redes sociais (mais do que postar uma foto perfeita e bonitinha que toda a gente acha que quer ver); mostra alguns sítios irónicos de Paris (e é sempre bom voltar, mesmo que seja através de uma série da Netflix), mas também nos mostra que quando temos um sonho o devemos perseguir com todas as nossas forças, acreditando que ele vai acontecer mas, claro, também temos que nos esforçar.

O figurino da Emily é exagerado – acredito que propositadamente – qual é a jovem em início de carreira num país estrangeiro e a ganhar mal que se veste de Chanel e Dior dos pés à cabeça? Acho que mostra também o esforço que uma jovem americana faz para conseguir tentar ser chic parisiense durante a sua estadia em Paris. Adorei o estilo da Camille (e o namorado dela também é uma brasa ahah)

Independentemente se acharam a série gira ou ridícula, há gostos para tudo e depende muito do olhar com que estamos a ver as coisas, há algumas

 lições que podemos retirar de Emily in Paris:

1. QUALIDADE SUPERA A QUANTIDADE. Parem de se preocupar com os números das vossas redes sociais, conteúdo é bem mais importante do que números.

2. O NETWORKING É FUNDAMENTAL. Não confundam networking com relações por interesse, mas os contactos são fundamentais na nossa vida (pessoal e profissional), porque nos facilitam e permitem-nos abrir portas para outras ideias.

3. O TIMING É TUDO. Lembram-se quando o Instagram só nos permitia partilhar as fotos daquele preciso momento em que as estávamos a tirar? Se querem abordar um hot topic, não esperem para o fazer, porque perde o timing.

4. AUTENTICIDADE E GENUINIDADE. Falando em Instagram nos seus primórdios, o conteúdo parecia muito mais genuíno e autêntico. Não significa que não possa continuar a ser, mesmo dando espaço para edição das fotos como o fazemos atualmente. Há muita gente que se queixa que as suas redes sociais não crescem, mas pensem: estão a ser autênticas? Genuínas? O conteúdo que partilham reflete quem vocês são realmente? Lembrem-se que as máscaras caem, mais cedo ou mais tarde.

O buzz que esta série tem tido é tanto que acredito que já tenham visto. Contem-me o que acharam.

Margarida

Hi! I’m Margarida, style and beauty blogger at Style it Up

Comments

    • October 19, 2020

      Margarida

      Tudo o que nos remete ao sonho é um escape para a realidade, ainda por cima uma realidade dura que atravessamos hoje no mundo 🙂
      Beijinho

  1. October 18, 2020

    Teresa

    Primeiro comentário realista que li sobre a série “Emily in Paris”! Vivo há mais de oito anos em Paris e cansei que todos os meus contactos me recomendassem esta série. A série é leve e engraçada mas está cheia de clichés! As pessoas tendem a imaginar uma vida de glamour em cidades como Paris, a observação da Margarida sobre a impossibilidade de alguém em início de carreira ter uma coleção de Chanel’s e Dior’s foi uma das minhas primeiras reflexões. A probabilidade de estar sentada no Café de Flore e um estranho meter conversa é também muito limitada. Nunca me passaria pela cabeça chegar às 10h30 ao trabalho… na vida real isso não acontece. E quem encontraria uma desconhecida na florista que se dignasse a defender uma estrangeira e logo com um chateau????!!!! Paris é sem dúvida uma cidade linda e com uma magnífica oferta cultural, mas sejamos realistas, a série está demasiado romanceada.
    Um beijinho e até um dia em Paris!

    • October 19, 2020

      Margarida

      Acho que se não estivesse romanceada, não ia ter tanto sucesso, porque afinal, as pessoas “compram” o sonho 🙂
      Beijinho e até um dia em Paris 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *